ANDRAGOGIA – Um exemplo prático de exteligência Artigos, Crescimento Pessoal, Recursos Humanos

andragogia-conhecimento-educacao

Publiquei recentemente um texto denominado Inteligência e Exteligência, onde procurei mostrar a diferença entre estes dois termos.

Relembrando, Exteligência é entendida como todo o conhecimento que está fora de nós, contrastando com Inteligência, o conhecimento que cada pessoa possui e que está dentro de seu cérebro.

Uma não exclui a outra; mas, ao contrário, ambas se completam nas situações onde necessitamos resolver qualquer questão.

De todos os seres da natureza, o ser humano, Homo Sapiens, é o único animal consciente por tudo aquilo que pratica e é, também, o único que tem a capacidade de aumentar seus conhecimentos por vontade própria. Por isso é o mais desenvolvido de todos.

O eterno aprender, a busca por novos conhecimentos não cessa nunca, em nenhum estágio da nossa vida. O homem evolui através do aprendizado contínuo.

Enquanto crianças e adolescentes, aprendemos de acordo com os métodos preconizados pela Pedagogia. Já a Andragogia é a ciência e a arte da educação de adultos, contrapondo-se à Pedagogia, onde cada uma delas possui características bem diferentes. Já abordei este assunto, disponível em http://ogerente.com.br/novo/colunas_ler.php?canal=16&canallocal=48&canalsub2=155&id=926 .

À medida que o ser humano vai se tornando adulto, ele passa a ser mais maduro, mais independentes e mais autodirecionado, e desenvolvendo sua capacidade de fazer escolhas. Boas ou más, estas escolhas, que se transformam em experiências vividas, vão fazer com que ele aprenda com seus erros e acertos. Como afirma Madeleine L’engle: “a habilidade da escolha é que nos torna humanos”.

Estas experiências tornam-se o fundamento e o substrato do aprendizado futuro dos adultos.

Este aprendizado será direcionado fundamentalmente para o desenvolvimento de novas habilidades e competências que deverão se traduzir na sua aplicabilidade prática no cotidiano, no dia-a-dia das pessoas.

Algumas características da aprendizagem andragógica são:

a – as pessoas aprendem o que realmente precisam saber naquele momento de vida (aprendizagem para sua aplicação prática);

b – a motivação da aprendizagem é muito mais baseada na motivação interna (satisfação, autoestima, qualidade de vida) do que em provas, notas ou exames;

c – de uma forma geral a aprendizagem é baseada em problemas, o que exige ampla gama de conhecimentos para se chegar à solução, o que é feito entre quem ensina e quem aprende.

É aqui que a Andragogia se torna um exemplo prático de exteligência. O conhecimento de um (inteligência) será o conhecimento que fica disponível ao outro (exteligência). Por isso, no ensino andragógico, existe troca de experiências entre adultos: o que educa (facilitador) e o que é educado (aprendiz), deixando de existir o conceito de professor e aluno, como na Pedagogia.

Aqui vale a ressalva transmitida por Cortella: “é necessário que aquele que ensina tenha humildade pedagógica, ou seja, a capacidade de saber que não sabe tudo o tempo todo de todos os meios.”

Em resumo: eu tenho muito a lhe ensinar e você tem muito a me ensinar; em outras palavras, o educador se torna aprendiz e o aprendiz se torna educador.

Enquanto na Pedagogia o ensino é feito em mão única (do professor para o aluno), na Andragogia este caminho é feito em mão dupla.

E como o ensino é baseado nas experiências vividas, gosto da frase de Richard Bach que diz: “praticar é demonstrar o que se sabe” e da que é atribuída a Friedrich Engels: “um grama de ação vale mais do que uma tonelada de teoria”.

Este tipo de ensinar e aprender fará com que cada um tenha mais satisfação em realizar seu trabalho, além de aumentar sua autoestima e sua qualidade de vida.

Aquele que tem a consciência que a Vida nos faz aprender continuamente, certamente irá concordar com Leonardo da Vinci: “aprender é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende”.

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

ANDRAGOGIA – Um exemplo prático de exteligência
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Últimos Comentários

  1. jovair nascimento

    Hoje em dia esta Pedagogia vista em mão única já está ultrapassada,na verdade as novas tendências já incorporam a via de mão dupla onde o professor não é aquele que repassa mas sim um facilitador entre os aprendizes.A troca entre os alunos é a maior fonte de conhecimento e nisto entendemos seu posicionamento quanto ao aprendizado átravés da andragogia.

  2. JANSEN DE QUEIROZ

    Caro Luis Roberto
    Artigo claro e objetivo.
    Eu acredito fora de contexto a citação da frase de Friedrich Engels: “um grama de ação vale mais do que uma tonelada de teoria”. Ação sem conhecimento é uma aventura com elevada possibilidade de danos, muito a gosto de incentivadores de mobilização das massas.
    Grande Abraço
    Adm e Coach Jansen de Queiroz

  3. Marcelo Barreto

    Ou seja, a troca de conhecimento entre os seres humanos é constante, seja do sábio para o iletrado e vice-versa.
    E a humildade é sinônimo de nobreza.
    Parabéns, Fava, pelo belo trabalho que vem realizando.
    Um grande abraço do amigo,
    Marcelo Barreto

  4. Carlos Roberto da Silva

    No ano passado tive uma experiência em treinamento em que pude colocar em prática princípios da andragogia, aqui muito bem elucidados, foi muito gratificante.
    Sou um admirador do seu trabalho, Fava, uma rica fonte de aprendizado.
    Um abraço
    Carlos Roberto da Silva

Deixe um Comentário