Criatividade – Uma necessidade do mundo globalizado Artigos, Inovação

criatividade-mudanca-competitividade-1

Se pudéssemos caracterizar o mundo globalizado em que vivemos, poderíamos dizer que é um mundo instável, mutável, dinâmico, onde tudo acontece e se transforma em curtos espaços de tempo.

Para sobreviver neste cenário, produtos e processos são continuamente desenvolvidos e/ou melhorados para enfrentar a competitividade existente.

Como isso está diretamente ligado à criatividade e, portanto, às pessoas envolvidas, não é difícil se concluir que CRIATIVIDADE é uma das necessidades que se impõem para a sobrevivência das corporações.

Criatividade é uma característica que todas as pessoas possuem. Não é característica de ninguém especial, embora músicos e artistas plásticos possam tê-la em maior conta. Mas, eu e você, caro leitor ou leitora, a temos dentro de nós. Basta que a descubramos.

Domenico di Mais afirma que qualquer um possui a própria centelha criativa.

E o que é ser criativo? É estar constantemente pensando em como melhorar algo ou obter melhores resultados no desenvolvimento de novos produtos, processos ou serviços.

Você se considera uma pessoa criativa? Se a sua resposta foi não ou mais ou menos, está na hora de você deixar aflorar esta característica pessoal.

Para isso, seguem abaixo algumas dicas. E, para tornar este texto mais “criativo”, deixarei que imagens e filmes façam parte deste texto.

1 – Elimine seus medos e tudo que possa bloquear sua criatividade

Medo de expressar suas ideias aos outros; medo do novo, do diferente; medo que você possa ser motivo de gozação ou de chacota; medo de errar; medo de perguntar; medo de arriscar, etc.

Quem sabe o filme que se segue poderá ajuda-lo (a) a extinguir seus próprios “lobos”.

Além dos medos, podem ser citadas a resistência em mudar, bloqueios mentais, manter seus pensamentos dentro de suas próprias “fronteiras”, preguiça em expandir sua consciência, conformar-se, desistir facilmente sem, ao menos, tentar algo diferente, etc.

Image1

2 – “Abra” espaços na sua mente

Você se lembra da lei da Física que afirma que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço?

Image2

Pois bem, o mesmo ocorre na nossa mente. Se ela estiver cheia de preocupações, aborrecimentos e quaisquer outros tipos de pensamentos, não haverá espaço para que ela esteja apta a captar os insights vindos do inconsciente e do subconsciente.

3 – Aumente seu senso de observação

Observe como tudo está mudando. No local daquela galeria de arte hoje existe um restaurante. Amanhã, quem sabe, o mesmo local poderá abrigar uma livraria.

Aumentando seu senso de observação, faça conexões mentais, exercite seu cérebro. Por exemplo: onde havia uma padaria, hoje existe uma loja de sapatos. Ao perceber a mudança, aquela mulher exclamou: “vou comprar um par de sapatos para um amigo que é um “sonho”.

Image3

4 – Papel e lápis sempre à mão

Tenha sempre disponível algo para você anotar as ideias que lhe vêm à mente, por mais estapafúrdias que sejam. Nunca confie apenas na sua memória, mesmo que estas ideias não estejam “prontas”.

Image4

Aprenda também a avaliá-las. Serão úteis? Poderão ser postas em prática? Em caso negativo, deixe-as hibernando. Nunca as descarte. Algum dia poderão servir para alguma coisa, como ganhar dinheiro, aumentar sua eficiência profissional, etc.

Veja algumas ideias criativas e bem humoradas e também um filme que descreve um projeto muito criativo.

Image5

5 – Aumente sua cultura

Filmes, livros, viagens, conhecer outras pessoas, tudo pode ser uma fonte infindável de informações úteis e variadas que poderão lhe trazer novas ideias e novos insights.

Image6

6 – Curiosidade não mata

Nem a você e nem ao gato, contrariamente como diz o ditado popular.

Aprenda a ser (mais) curioso, aumentando sua capacidade de ouvir com atenção, perguntar os porquês, não se satisfazer com a primeira solução encontrada; enfim, mantenha sempre ativa a sua curiosidade.

Image7

A criatividade nos obriga a ter, constantemente, espírito investigativo. É este espírito que faz as pessoas criativas a formular perguntas do tipo “por que não?” em vez de “por que?” ou “será que vai funcionar?” em vez de “não vai funcionar”.

7 –Seja um “idiota” E ria de suas “idiotices”.

A palavra idiotice é definida como qualidade, modos ou dito de idiota. Já idiota tem vários sinônimos, e um deles é amalucado. E é neste sentido que o estou empregando.

Idiotice, neste contexto, significa ter ideias diferentes, fazer conexões que, separadas, não tem nenhum sentido. Agregue a isto uma dose de humor. E ria, ria muito daquilo que você pensou.

Outro dia tive a oportunidade de assistir um documentário sobre peixes e animais marinhos. Após assisti-lo, fiz, a mim mesmo, três perguntas “idiotas”:

– peixe-boi muge?

– pode-se pregar uma peça em alguém com o peixe-martelo?

– o cavalo-marinho corre em qual hipódromo?

Tenha por hábito fazer este exercício mental. Além de ser diferente, pode ser muito divertido. Fazer conexões com coisas diferentes e não usuais pode representar o estopim para novas e grandes ideias. E também melhorar (ainda mais) seu bom humor.

8

8 – “Quanto mais eu sei, mais eu sei que nada sei”

Esta máxima de Sócrates é uma das características de uma pessoa criativa. Pessoas com este perfil estão sempre aprendendo algo diferente, estudando, instruindo-se e aumentando seus conhecimentos. Ela não perde tempo em buscar um conhecimento novo quando necessário. Quanto mais conhecimento, maiores as chances de se criar novas conexões cerebrais e gerar novas ideias.

Image9

Certamente Newton já tinha munido seu cérebro com um sem número de informações até que a queda da maçã em sua cabeça se transformou no “gatilho” para que ele elaborasse a lei da gravidade.

Mas também não devemos esquecer que outra forma de aprendizado é com nossas experiências vividas que, ao serem “conectadas” ao novo e ao diferente, também podem gerar outras ideias bastante originais.

10

9 – Em boca fechada não entra mosquito

Você se lembra deste ditado, não lembra? Pois bem, ao trocarmos a palavra boca por mente, você já imaginou o que pode acontecer com sua criatividade?

11

É importante mantermos nossa mente sempre aberta para as mudanças que estão ocorrendo a todo instante e às novidades que aparecem diariamente nos meios de comunicação. Procure expandir sempre seus sentidos, principalmente os da visão e audição. Deixe de ser um “surdo-cego”.

12

Frente a coisas que para você possam parecer inusitadas, cultive o hábito de não achar e nem julgar de imediato o novo e o diferente. Não seja uma pessoa preconceituosa e imediatista pois, como tudo está em constante mudança, você também poderá mudar. E acabar aceitando amanhã o que você condenou hoje.

10 – Crianças e idosos, insights maravilhosos

Observe uma criança e veja as maneiras simples que elas têm para desenvolver suas brincadeiras. Elas fazem de um cabo de vassoura, um fogoso corcel; do empilhamento de alguns blocos, o palácio do príncipe encantado. E se algo der errado, ela aprende e experimenta outra maneira usando sua imaginação.

Image13

Agora observe uma pessoa idosa e veja como ela lida com os problemas empregando sua sabedoria e experiência acumuladas nos anos já vividos.

Quantas ideias criativas poderão tomar forma quando juntamos estes dois “ingredientes”?

11 – Aprenda a ser um “escultor mental”

Toda grande ideia pode não vir “pronta” Muitas vezes ela necessita de ajustes, de novos insumos para germinar em sua totalidade.

Coloque-a em prática e vá fazendo os acertos necessários até que ela esteja pronta. “Esculpa” sua ideia aos poucos até se tornar uma “obra de arte”.

E, fique alerta, pois sua grande ideia pode dar origem a outras grandes ideias. Se isto acontecer, mantenha este continuum.

Quando perguntaram a Michelângelo como ela fazia para esculpir obras tão perfeitas, respondeu: “a obra está dentro do bloco de mármore. Eu só tiro os excessos”.

14

Em síntese, você precisa saber até onde vai sua zona de conforto.

15

E será a partir daí que você começará, realmente, a viver fora dela.

16

PARABÉNS!

Você chegou – e criou- a sua zona de desconforto. Certamente você nunca mais será o (a) mesmo (a).

3313123

Minha última dica: procure sempre ser criativo. Mesmo em momentos de crise.

Aliás, se algum dia você me perguntar como sair da crise eu lhe responderei:

– Tire o S e CRIE.

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

Criatividade – Uma necessidade do mundo globalizado
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Últimos Comentários

  1. aquilinoreis

    Treine sua criatividade todos os dias, não se submeta a mesmice do dia a dia. Seja curioso, confronte desafios, procure novas formas de realizar as tarefas do dia a dia, seja flexível e não deixe que pré-conceitos o atrapalhem.

  2. facebook_elcio.ielpo

    O Artigo é valiosíssimo, Fava, acredito que ninguém saia ileso de uma reflexão a respeito, seja de tudo ou de parte…

    Observação:
    Encontrei uma ‘incorreção’ no nome de Domenico De Masi, no seguinte parágrafo:

    “Domenico di Mais afirma que qualquer um possui a própria centelha criativa”.
    O seu Artigo mereceria essa correção. Concorda?

    Parabéns pelo desenvolvimento e apresentação de um tema tão complexo… Um grande abraço!!

  3. Luiz Roberto Fava

    Caro Elcio, grato pelo comentário e participação.
    Acredito que, no novo mundo do trabalho, outras características deverão ser desenvolvidas. Criatividade é apenas uma delas. Talvez venha a fazer parte dos valores das empresas a ser aplicada no seu dia-a-dia. O tempo dirá se tenho razão ou não.
    Abraços, Fava

Deixe um Comentário