Inteligência espiritual – A terceira inteligência Artigos, Crescimento Pessoal

inteligencia-espiritual

Uma das características do Ser Humano é possuir inteligência, tema este que tem sido objeto de vários estudos.

No início do século XX, Binet (1905) introduziu o quociente de inteligência (QI), ou seja, um teste para medir a capacidade intelectual do Ser Humano, o qual prevaleceu até a década de 80.

Em 1983, em seu livro Frames of mind, Howard Gardner mostra que não há um tipo específico de inteligência, mas um amplo espectro de inteligências, o que vai muito além do conceito padrão de QI, considerado, até então, como um fator único e imutável.

Em 1995, Daniel Goleman lança o conceito de inteligência emocional, onde o principal objetivo foi demonstrar que não bastava o indivíduo ser um gênio se não soubesse lidar com as emoções, suas e dos outros. Com isto foi criado o quociente emocional (QE), onde as emoções são colocadas no centro das aptidões para viver.

E agora, mais recentemente, somos brindados com o livro de Danah Zohar, física e filósofa, e de seu marido Ian Marshall, psiquiatra, que introduzem o conceito de inteligência espiritual, traduzido pelo quociente espiritual (QS).

Para eles, a inteligência espiritual “constitui-se na terceira inteligência, aquela que coloca nossos atos e experiências em um contexto mais amplo de sentido e valor, tonando-os mais efetivos.

Ter um alto quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequado senso de finalidade e direção pessoal.

O QS aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor.”

O QS está ligado à necessidade humana de ter propósito de vida. É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas ações.

Os autores também são de opinião que a vida de hoje é muito tumultuada e isto evita que deixemos de pensar concreta e profundamente sobre ela. Também afirmam que a inteligência espiritual coletiva é baixa na sociedade moderna visto que vivemos em uma cultura espiritualmente estúpida o que, por outro lado, pode servir de motivo para agir e elevar nosso QS.

De uma forma bastante resumida, o QI se relaciona à solução de problemas relacionados com a lógica. O QE auxilia na melhoria das relações interpessoais através da conscientização e domínio das emoções. Já o QS ajuda a decidir e a pensar nas situações perante as quais o Ser Humano percebe e entende as diversas mudanças na sua vida, torna-se criador de novas situações e está sempre acrescentando algo a si e à sua vida que os deixe mais feliz.

É esta terceira inteligência que lançamos mão (mesmo de forma inconsciente), quando nos defrontamos com situações sem soluções aparentes, quando somos reféns de padrões comportamentais, frente a doenças graves e em situações de sofrimento físico, emocional, no trabalho e em situações de perda.

O conceito de inteligência espiritual ou terceira inteligência é sustentado por pesquisas científicas nas áreas da neurologia, neuropsicologia e neurolinguística.

O neuropsicólogo Michael Persinger e o neurologista Vilanu Ramachandran identificaram, nas conexões neurais dos lobos temporais do cérebro humano, um ponto denominado “oi ponto de Deus”. Esta área, através de exames específicos, sempre se iluminava quando os pacientes falavam e discutiam temas espirituais, independentemente da religião proferida por eles.

Quando questionada sobre a diferença entre QE e QS, Danah assim se expressou:

A inteligência emocional (QE) me permite julgar em que situação eu me encontro e a me comportar aproximadamente dentro dos limites da situação. A inteligência espiritual (QS) me permite perguntar se quero estar nesta situação particular: implica trabalhar com os limites da situação.

Enquanto o QE fala das emoções, o QS fala da alma; este tem a ver com o que algo significa para  mim, enquanto aquele se relaciona com as coisas que afetam minha emoção e como eu reajo a ela.

Características da inteligência espiritual 

A inteligência espiritual se distingue por possuir as seguintes características, permitindo ao Ser Humano:

  • capacidade de ser flexível;
  • capacidade de desenvolver um alto nível de consciência de si mesmo;
  • capacidade de suportar e transcender a dor e o sofrimento e usam a adversidade a seu favor;
  • capacidade de ser inspirado por visões e valores, tornando-os mais idealistas;
  • relutância em causar danos desnecessários;
  • tendência a perceber as relações entre tudo e todos (holismo);
  • tendência a sempre se perguntar “por que?” e “e se?” e obter as respostas (aprender sempre);
  • facilidade em caminhar contra as convenções e padrões ditados por grupos de pessoas (são independentes);
  • assumir mais riscos;
  • imprimir entusiasmo, otimismo e fé aos que compõem o seu entorno (família, colegas de trabalho, amigos, etc.);
  • ter um forte e sincero desejo de compartilhamento, independentemente de cor, credo, sexo, raça, aparência e status (celebram a diversidade);
  • ampliar seu potencial criativo e inovador, mudar o jeito de sua mente para trabalhar com a imaginação (imagem-em-ação) e criar novos futuros;
  • desenvolver a espontaneidade;
  • ter compaixão.

As pessoas que tem QS mais desenvolvido buscam respostas para perguntas essenciais ao seu autoconhecimento, como por exemplo:

a – Quem sou eu? Qual a minha essência?

b – Vivo neste mudo para que? Quais são os meus papéis?

c – Qual a minha missão nesta vida?

A terceira inteligência nos propicia uma visão mais ampla daquela que estamos acostumados devido às nossas “barreiras” naturais, como nossas crenças, princípios e valores que nos mantem em nossa zona de conforto.

Ela faz com que o viver e o fazer do Ser Humano se enquadre em um contexto mais amplo de sentido e valor, tornado-o mais efetivo, como afirma Wellington Moreira.

Desenvolver uma visão mais ampla nos permite “quebrar” paradigmas de uma forma mais constante e consciente, daí as pessoas com QS mais elevado serem mais “inconstantes”, por terem escolhido viver em suas zonas de “desconforto”.

O QS elevado também nos dá condições de encontrarmos mais lucidamente nossos propósitos de vida e fazermos escolhas melhores e mais conscientes de forma mais coerente e profunda.

O QS permite o desenvolvimento de pensamentos mais criativos na forma de insights e percepções que podem nos ajudar a trabalhar com outro olhar, onde as dificuldades e os obstáculos se transformam em oportunidades de crescimento e desenvolvimento espirituais.

Vários estudiosos e pesquisadores tem se manifestado sobre este tipo de inteligência.

Robert Emmons considera que aqueles que tem QS elevado possuem certas capacidades, como a capacidade de transcendência, a capacidade de vivenciar estados elevados de consciência, capacidade de encontrar o sentido do sagrado nas atividades diárias, a capacidade de empregar os recursos da espiritualidade para resolver os problemas práticos da Vida e a capacidade de comprometer-se em levar uma vida baseada no perdão, na gratidão, na humildade, na compaixão e na sabedoria.

Tony Buzan afirma que a inteligência espiritual permite que se tenha uma visão global da Vida, ter um propósito, descobrir o poder do riso e do bom humor e viver com entusiasmo, com sentido de aventura e reconhecer a importância da paz e o poder do amor.

Ramón Gallegos assinala que a inteligência espiritual é exclusivamente humana. Animais e computadores mostram evidências de inteligência intelectual e emocional, mas não possuem e nem conseguem desenvolver a inteligência espiritual.

Zohar & Marshall afirmam que esta inteligência permite perceber que as nossas vidas fazem parte de um contexto mais amplo e significativo e, ao mesmo tempo, determina quais ações são mais valiosas para o nosso viver. A inteligência espiritual é a base necessária para que as outras inteligências (QI e QE) operem de modo eficiente. O QS tem o poder de transformação que o diferencia das outras inteligências, indo além da capacidade intelectual e emocional do indivíduo.

Não é a toa que, para aqueles que estudam e pesquisam este tema, a inteligência espiritual é considerada, nos dias de hoje, como a inteligência definitiva.

Fava Consulting – Qualidade de Vida Integral, sempre

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

Inteligência espiritual – A terceira inteligência
1 vote, 5.00 avg. rating (94% score)

Deixe um Comentário