Lazer e qualidade de vida Artigos, Qualidade de Vida

lazer-e-qualidade-de-vida-1

Viver por mais tempo é uma conclusão de vários estudos sobre a longevidade do ser humano. Já que estamos vivendo mais, a questão que se coloca é: como viver melhor?

Ogata & de Marchi, em seu livro Wellness – Seu guia de bem-estar e qualidade de vida (2008), ensinam que o bem-estar depende diretamente de nosso estilo de vida, sendo que cinco fatores tem uma grande significância:

1º – carga genética – representa 30% de nossa capacidade de estar saudável e representa a predisposição para a saúde ou a doença;

2º – circunstâncias sociais – representam 15% e estão relacionadas à educação, emprego, moradia, renda e coesão social;

3º – condições ambientais – relacionados com os riscos dos locais onde se vive e trabalha: representam 5%;

4º – escolhas comportamentais – são as mais importantes e correspondem a 40% do total e se relacionam às nossas práticas de comportamento e ao nosso estilo de vida; e,

5º – cuidados médicos – correspondem aos 10% restantes.

A análise destas porcentagens, ainda segundo os autores, significa: o ser humano tem o poder de controlar mais de 50% da sua qualidade de vida, bem-estar e saúde.

Convém lembrar que todo ser humano tem oito áreas para administrar em sua vida: física, emocional, intelectual, profissional, financeira, lazer, relacionamentos (inclusive a família) e espiritual.

Com as atribulações de um mundo globalizado, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o trabalho e a manutenção de suas atividades laborais e em busca de mais e melhores qualificações e acabam se esquecendo do equilíbrio que deve haver entre aquelas oito áreas.

E o lazer é uma delas.

Infelizmente, muitas pessoas acreditem que o lazer se resume, simplesmente, a tirar férias ou gastar dinheiro indo para locais paradisíacos ou frequentando restaurantes estrelados pelo guia Michelin.

Se formos consultar a literatura, vamos perceber que lazer é muito mais do que isso.

Talvez a melhor descrição seja a de Joffre Dumazedier, que afirma: o lazer é um conjunto de ocupações às quais o indivíduo pode entregar-se de livre vontade, seja para repousar, seja para divertir-se e entreter-se ou, ainda, para desenvolver a sua informação ou formação desinteressada, sua participação social ou a sua livre capacidade criadora depois de se livrar ou se desembaraçar das suas obrigações profissionais, familiares e sociais.

A prática de uma atividade de lazer leva o ser humano a um estado de satisfação, prazer e felicidade e contribui para o seu desenvolvimento pessoal e social.

Dumazedier também ensina os interesses das pessoas em praticar o lazer, os quais podem ser de cinco naturezas:

1ª – interesse físico

Representado pela prática de alguma atividade física independentemente de sua natureza: caminhada, corrida, tênis, squash, patinação, dança, atividade de aventura, esportes coletivos (vôlei, futebol), etc.

2ª – interesse artístico

A pessoa se dedica à prática de alguma manifestação artística, como cinema, teatro, etc.

3ª – interesse manual

Neste caso o prazer está ligado ao uso das mãos, como tocar algum instrumento musical (violão, harpa, bateria, instrumentos de sopro), pintura em suas diferentes manifestações, escultura, confecção de roupas, objetos, etc.

4ª – interesse intelectual

O prazer é alinhado ao uso do pensamento. Neste grupo de atividades incluem-se o xadrez, palavras cruzadas, sudoku, escrever artigos, livros, crônicas, ou ainda, ministrar palestras, cursos e workshops.

5ª – interesses sociais

Festas, encontros, celebrações, constituem interesse onde as pessoas aumentam sua satisfação prazer e felicidade através de sua plena capacidade de relacionamentos e sociabilização.

A prática de uma atividade de lazer traz inúmeros benefícios para as pessoas, tais como:

  • melhora do bom humor;
  • aumenta o entusiasmo pela vida;
  • fortalece o sistema imunológico;
  • eleva a autoestima;
  • reduz a obesidade;
  • combate o estresse ruim;
  • aumenta a longevidade;
  • reduz os riscos de desenvolver doenças, como a depressão;
  • estimula a sociabilização;
  • desenvolve a criatividade;
  • contribui para o bem-estar geral;
  • necessário para a manutenção e promoção da saúde; e,
  • contribui para a recuperação de pacientes que sofreram derrames cerebrais, pacientes internados em UTIs e no tratamento de crianças com problemas psiquiátricos.

Cada pessoa deve procurar alguma atividade que lhe faça bem. Por exemplo: se você é um atleta de final de semana e vai jogar futebol com os amigos por duas horas, pode ser que você passe o resto da semana sofrendo de dores musculares. Será que isso é lazer?

Por isso cada um deve estar ciente que a escolha de uma atividade de lazer é individual; a minha escolha pode não ser a sua escolha.

O importante é que esta escolha esteja sempre sustentada pelo tripé satisfação, prazer e felicidade.

Repito, nossa qualidade de vida está em saber equilibrar nossas oito áreas. E a prática de uma atividade de lazer contribui para que este equilíbrio seja alcançado.

Fava Consulting – Para viver com muito mais Qualidade

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

Lazer e qualidade de vida
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Deixe um Comentário