Mais de você no seu próprio crachá Artigos, Comunicação

Inicio este artigo reproduzindo um texto chamado O poder de um crachá.

Certo dia, em uma fazenda localizada no Texas, Estados Unidos, chegou um oficial do departamento de agricultura que foi logo falando de forma áspera para o fazendeiro:

            – Preciso inspecionar sua fazenda. Há suspeita de plantação de maconha.

            O fazendeiro diz:

            – OK, mas não vá naquele campo ali.

            E apontou para uma determinada área.

            O oficial diz indignado:

            – Vou onde eu quiser. O senhor sabe que tenho poder do governo federal comigo? E tirou seu crachá do bolso da camisa.

            O fazendeiro todo educado pediu desculpas e voltou para o que estava fazendo.

            Poucos minutos depois o fazendeiro ouve uma gritaria e vê o oficial correndo para salvar sua própria vida, por estar sendo perseguido pelo maior touro da fazenda.

            A cada instante o touro ia chegando mais perto de dar uma chifrada antes que o oficial conseguisse alcançar um local seguro.

            O fazendeiro largou suas ferramentas, correu para a cerca e gritou para o oficial com todas as suas forças:

            – O crachá! Mostra o seu crachá!

            Um crachá nada mais é do que uma pequena placa identificadora usada por indivíduos em eventos (conferências, palestras, convenções, congressos, etc.), empresas, hospitais, escolas, etc.

No ambiente das empresas, normalmente um crachá se caracteriza por conter dados individuais do seu portador, como sua foto, seu nome (e, se possível o nome como é conhecido, seu “nome de guerra”), seu cargo, seu departamento, além do logotipo da empresa ou da instituição para a qual este indivíduo está prestando seus serviços. Pode também conter, opcionalmente, outras informações relevantes como o RG e o tipo sanguíneo.

Este pequeno cartão, geralmente preso à roupa ou pendurado no pescoço, pode ter um significado muito grande. Para Maria Aparecida R. Schirato, “o crachá é a superposição da identidade e, em alguns casos, a substituição pura e simples da identidade original”.,

E o que um crachá pode significar?

Além de representar a inserção no mundo do trabalho, pode significar também a estabilidade de uma atividade laboral representada pela segurança, pelo cargo ocupado, pelo salário, transmitindo uma sensação de bem-estar íntimo e fazendo com que o funcionário se sinta mais próximo da empresa, além de outros significados como cidadania ou diferenciação social.

Ele também pode transmitir a sensação de unidade de um grupo e facilitar a comunicação, interação e o networking entre os colegas de trabalho ou entre seus clientes e fornecedores.

Além da identificação pessoal e mostrar que seu portador faz parte do quadro de colaboradores da empresa, o crachá possui outras funções e vantagens:

  • acesso do colaborador e pessoas estranhas à organização aos locais internos da empresa, sejam eles restritos ou não;
  • registro de ponto

Permite o registro de horas trabalhadas, horas extras, ausências e afastamentos.

  • economia.

Evita a contratação de um funcionário específico para supervisionar a entrada de colaboradores para dentro da empresa ou para adentrar algum setor específico da mesma.

  • profissionalismo

O uso do crachá faz com que a empresa transmita uma imagem mais profissional, gerando uma melhor impressão ao seu público interno e externo, assim como fortalecer sua credibilidade.

  • integração

O uso do crachá é uma maneira de promover a integração de seus colaboradores visto que permite que seus usuários sejam rapidamente identificados pelo seu próprio nome.

Um pouco mais de você, no seu próprio crachá

A Orizon, empresa que atua na área da saúde, e capitaneada por Mario Henrique Martins, introduziu uma nova ideia buscando um pouco mais do que saber apenas as informações individuais do portador do seu crachá.

Afirma Mario Henrique que a conexão entre duas pessoas segue uma “dança de dois passos”: além de saber o nome do portador, busca áreas de interesses comuns.

Desta forma, o crachá da Orizon mostra, além dos dados pessoais,  três ícones que traduzem três paixões, interesses ou hobbies que cada colaborador possui. Isto facilita a conexão entre os colaboradores pelo fato de identificar interesse comuns, o que aumenta a capacidade de diálogo entre eles.

Com isto, ao se olhar o crachá já temos ideia do que aquele colega gosta. Isto faz diminuir a distância entre seus portadores. Até aquele seu colega que você não simpatizava muito pode mostrar que gosta das mesmas coisas que você gosta e, com isto você pode descobrir afinidades comuns e aproximar mais vocês dois.

Os ícones constantes no crachá podem ser o “gatilho” para se iniciar novas conversas, novos bate-papos e novas conexões pessoais baseadas em gostos comuns a ambos.

São de Mario Henrique as seguintes palavras: “o novo crachá apoia a sustentação de um bom hábito básico para a conexão do time. Incentivar melhores conexões fortalece a qualidade do debate e execução de ideias na empresa. Se uma ideia não vira hábito ela só existe na imaginação. Isso significa que além de gente boa, são necessários novos processos e incentivos que sustentem a formação de bons hábitos. A cultura acaba sendo o que fazemos habitualmente. Nós precisamos inovar para fortalecer nosso capital humano e ter nele um diferencial competitivo”.

Em um mundo cada vez mais virtual, esta nova ideia também vem para afirmar que o contato presencial ainda é de grande valia para a relação interpessoal, principalmente dentro do ambiente de trabalho.

Seguindo esta linha de ideias, abaixo apresento o meu crachá seguindo os moldes daquele da Orizon.

Como pode ser percebido, minhas três paixões são: a Odontologia e, em particular, minha especialidade que é Endodontia (tratamento de canal), leitura e compartilhamento do meu conhecimento e uma boa música.

De público parabenizo toda a equipe da Orizon por esta iniciativa inovadora.

Este é, sem dúvida, um exemplo a ser seguido.

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

Mais de você no seu próprio crachá
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Deixe um Comentário