Co…, co…, para não dar m…(#%?) Artigos, Empresas, Recursos Humanos

maturacao-empresa-competencias-1

Toda e qualquer empresa, em seu processo de evolução, passa, necessariamente, por algumas fases: gestação, crescimento e maturação. A partir daí ou ela em um processo de estagnação e, se não mudar, acaba desaparecendo do mercado em um período de tempo variável.

Entretanto, existem empresas que se mantém firmes no mercado, acompanhando e se adaptando ao ritmo ditado pela globalização e pela forma dinâmica de fazer negócios. Elas se re-inventam constantemente e tem a capacidade de se adequar às mudanças de forma muito rápida.

Tais empresas necessitam que seus profissionais também estejam preparados para seguir este ritmo. Eles devem possuir (e desenvolver) as competências exigidas, ter seus valores muito bem “casados” com os valores da empresa e ter as atitudes necessárias para que seu papel e suas funções possibilitem a evolução e o crescimento da mesma, o que torna sua sobrevivência no mercado um constante desafio.

Tenho visto, para que isto ocorra, que as pessoas e as equipes devem estar munidas com uma série de qualidades bem desenvolvidas. E estas são inúmeras.

Como muitas delas se iniciam pelas letras C e O, idealizei uma lista para que, quando compreendida e incorporada ao dia-a-dia pessoal, profissional e corporativo, contribuam para a saúde da empresa, impedindo sua estagnação e sua posterior saída do mercado.

É claro que muitas palavras possuem uma conotação positiva, enquanto outras possuem uma conotação negativa.

Co-autor – seu colega onde, juntos, desenvolvem suas atividades e produzem resultados. Podem ou não trabalhar na mesma área.

Cobra – tem uma conotação positiva quando empregada para significar que uma pessoa é perita naquilo que faz. Mas também tem uma conotação negativa, pois pode significar pessoa que quer o mau alheio, pessoa sem índole.

Coerência – ter uma prática alicerçada naquilo que você pensa; fazer aquilo que você prega para você mesmo e para seus pares. (Você lembra a frase: “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço?” Coerência é tudo aquilo que você pensa e que é expresso pelas suas atitudes.

Coesão – tudo que é coeso tem harmonia, tem união. Uma equipe sem coesão não vai muito longe.

Cognição – aquisição de um conhecimento. E para isso os caminhos são vários, tanto individualmente, como para a empresa: cursos, palestras, convênios com universidades e centros de pesquisa, etc.

Coibir – refrear (ideias, pensamentos, sugestões). Lembra de outra frase famosa que dizia: “manda quem pode, obedece quem tem juízo”?, ou aquela outra: “você é pago para trabalhar e não para pensar”?

Coisificar – reduzir o profissional a valores eclusivamente materiais. Foi uma característica da Era Industrial e muito bem retratada no filme Tempos Modernos de Charlie Chaplin. Para Waldez Ludwig, a Era Industrial foi a responsável pela separação dos aspectos pessoal e profissional.

Colaboração – ou cooperação, nada mais é do que o trabalho realizado com uma ou mais pessoas que possuem objetivos claros a serem alcançados. Importante é que todos estejam imbuídos desta atitude.

Coleguismo – solidariedade e lealdade para com seus pares.

Coligação – união entre aqueles que buscam um objetivo, um fim comum.

Combinar – ajustar, fazer um acordo, planejar. Você se lembra da frase: “o que é combinado não é caro”? Bons acordos geram união, harmonia e conciliabilidade.

“Combo” – profissional que desenvolveu várias habilidades. É muito mais um generalista do que um especialista.

Comemorar – festejar, celebrar. Geralmente há celebração ao se terminar um projeto, alcançar um objetivo, etc. Mas, por favor, não esqueça: o sucesso celebrado hoje é momentâneo. Amanhã já estará ultrapassado.

Comissionar – confiar, encarregar e, por extensão, delegar algo a alguém.

Comover – impressionar, emocionar. Este é o verbo que nos faz conhecidos (junto com encantar). Aquilo que fazemos, aquilo que vendemos, deve comover e encantar as pessoas. Você se lembra da frase: “não basta ser pai, tem que participar”, da propaganda da Gelol? Pois bem, não basta ter habilidades, tem que comover.

Compartilhar – significa participação em uma ação, em um projeto, onde cada um tem a sua função, o seu papel, para alcançar um objetivo. Um bom líder exalta a participação de todos. Um bom chefe fala que o resultado é dele e não da equipe. Conhece esse filme?

Compensar – palavra que deve ser exercida pelo líder quando ele quiser estabelecer algum tipo de equilíbrio: quando ele errou e quiser reparar o dano ou o prejuízo causado; e, quando ele quiser recompensar ou reconhecer o trabalho feito por alguém.

Competência – Um potente estímulo para aumentar a sua autoestima. É a capacidade, habilidade ou aptidão de saber fazer algo com maestria. Quanto mais competente você for, mais terá a certeza de estar empregando bem o seu dom, melhorando os seus talentos e exercendo influência sobre o seu campo de ação. Mas, cuidado: competência é aquilo que você tem, mas que é avaliado pelos outros.

Competição – luta, disputa, rivalidade. Entretanto, no atual mundo corporativo e globalizado, esta palavra está cada vez mais restrita às corporações através da concorrência entre elas. Entre os colaboradores, com a diminuição dos níveis hierárquicos e aumento da meritocracia, esta palavra está em declínio.

Complemento – tudo aquilo que completa. O melhor exemplo é o de equipes compostas de pessoas com diferentes perfis e habilidades.

Comportamento – diz respeito às atitudes e reações das pessoas. Nunca esquecer que a competência lhe admite e o comportamento, na maioria das vezes, lhe demite.

Compromisso – é o que você assume quando faz um acordo com alguém ou faz alguma promessa para alguém. Ao assumir um compromisso a outra parte terá a certeza que você vai se empenhar para cumprir o que foi combinado com empenho e seriedade. Portanto, não a decepcione. Ter compromisso é exercer sua autorresponsabilidade.

Comunicação – significa tornar comum, fazer com que todos saibam algo. Deve ser feita de forma simples e transparente de tal modo que todos entendam o que está sendo comunicado.

Concentração – ter sua atenção e seu pensamento dirigido àquilo que está sendo feito agora. (ex.: estou concentrado digitando este texto). É estar focado de forma intensa e exclusiva. Trabalhar concentrado diminui a incidência de erros e do retrabalho.

Confiança – tipo de sentimento que é gerado quando se fala a verdade ou quando as promessas são cumpridas. Característica das pessoas que agem com probidade e retidão.

Conhecimento – aquilo que, sem ele, e nos dias de hoje, não leva a lugar nenhum. Tudo que é informação, notícia, ideia, que se transforma em aplicação prática, é conhecimento. Para Waldez Ludwig, é a base da inovação. É algo tão importante que, na evolução histórica do trabalho, hoje vivemos a Era do Conhecimento.

Confidencialidade – saber a hora certa de trocar informações concretas e não deixar que se criem rumores ou fofocas em torno de um assunto, uma ideia ou uma pessoa.

Consistência – ter em mente que o mundo muda, as pessoas mudam, todos os dias. Mas, cuidado, porque as oscilações drásticas, de um dia para outro, podem atrapalhar bastante.

Constância – manter-se fiel aos seus princípios, valores e propósitos sem esquecer que tudo muda, inclusive eles.

Contaminar – desenvolvimento de emoções “tóxicas” que impactam a performance pessoal e organizacional. Algumas delas são: medo, ansiedade, insegurança, incerteza, frustração, pessimismo, ceticismo, ressentimento, raiva, injustiça, traição, desconfiança, tristeza, rancor, depressão, culpa, angústia, para citar alguns. Elas geram maior desenvolvimento do estresse, absenteísmo, presenteísmo e turnover.

Convergência – direcionar pensamentos e ações para alcançar um propósito, um objetivo.

Cooperação – operar, realizar algo, em conjunto. Uma das características das equipes de alta performance.

Cópia – aquilo que se opõe à criatividade e à inovação.

Coragem – vontade para mudar algo, inclusive você mesmo (a).

Cordialidade – ato de ser sincero e franco expondo suas ideias e sentimentos sem ferir o outro, com afetuosidade.

Cortesia – aquilo que esperamos do outro e que o outro espera de nós: ser delicado e amável.

Corruptível – aquele que se deixa subornar, que estende a mão para ser “molhada”. Mas, lembre-se: se existe o subornável é porque existe quem suborna.

Covardia – característica daqueles que não enfrentam, que se “escondem” atrás de algo ou alguém. São pessoas cuja marca são a falta de ânimo e falta de coragem.

Finalizando, deu para perceber que, quanto mais co…, co…, se usa, menos m(#%?) acontece?

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

Co…, co…, para não dar m…(#%?)
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Deixe um Comentário