Um novo jeito de trabalhar. Cheio de “…DADEs” Artigos, Carreira, Empresas

trabalho-produtividade-qualidade

Se você é um baby boomer e ainda trabalha, você é um privilegiado.

Você vivenciou uma série de conquistas, uma série de transformações, uma série de mudanças que aconteceram em você e para você,, assim como para qualquer um de nós na faixa dos 55 anos ou mais.

Seu corpo mudou, suas ideias mudaram e, certamente, sua relação com o trabalho também mudou. Hoje vivemos uma época onde as mudanças não mais escolhem hora e lugar; elas estão acontecendo agora e com uma rapidez incrível.

Com isso, o ambiente corporativo também está mudando. Foi-se a época onde o colaborador era contratado e trabalhava até se aposentar na mesma empresa. Pode até ser que isto ainda aconteça nos dias de hoje, mas, certamente, isto é a exceção, não a regra.

Na atualidade, onde a tecnologia tem papel fundamental em todas as facetas da vida humana, empresas e pessoas tem buscado, com seu auxílio, novas formas de trabalhar para que, ambas, continuem inseridas na economia global.

E aí percebemos uma série de “…DADEs”.

1 – ProdutiviDADE

Esta é a palavra da hora.

Você se lembra da frase “Tempo é dinheiro”? Pois é. Foi-se o tempo que esta frase traduzia uma realidade.

Com o advento da Era do Conhecimento, houve uma mudança de paradigma onde a sua riqueza não está mais no dinheiro e nos bens que você conseguiu até aqui, mas no conhecimento que você não parou de adquirir e que continuará adquirindo com o correr dos anos.

E por que? Por uma razão bem simples, talvez uma regra não escrita: produzir mais e melhor em menos tempo.

Quantos postos de trabalho desapareceram nestes últimos 20 anos? Quantas empresas, hoje, contratam pessoas e as pagam pelo resultado e não pelo tempo dispendido para a sua realização?

Creio que você conhece pessoas que trabalham 10 a 12 horas por dia e não entregam os resultados esperados. E, ao contrário, você também deve conhecer pessoas que trabalham 8 horas por dia e sempre entregam seus resultados no prazo acordado. Entre estas duas, qual você contrataria? A qual destes dois grupos você pertence?

Caso você se considere pouco produtivo e quiser se tornar mais produtivo, tenha determinação e atitude. Não adianta ficar com o traseiro colado na cadeira porque isto não o transformará no colaborador que o mundo global exige. Sem uma mudança da sua atitude, nada vai acontecer.

É mais ou menos o que acontece quando se vai iniciar um programa de atividade física ou um regime para emagrecer.

– Vou começar na segunda-feira.

Só não se sabe qual segunda-feira.

Se o mundo corporativo sofre mudanças constantes, quer queira, quer não, você terá que acompanha-las para não ficar à margem.

2 MobiliDADE

Um dos grandes entraves à produtividade é o tempo que se gasta no trajeto residência-local de trabalho, principalmente nas grandes metrópoles.

Trânsito pesado, congestionado, é fonte de estresse o que, além de prejudicar a saúde e a qualidade de vida das pessoas, causam um impacto financeiro negativo muito alto na produtividade.

Um estudo feito pela IBM com 8192 motoristas de 20 cidades do mundo mostrou que o trânsito piorou nos últimos três anos e que 29% dos motoristas relatou que o trânsito os afetou negativamente no seu desempenho no trabalho, sendo que este índice aumentou para 84% em Pequim, 62% em Nova Delhi e 56% na cidade do México.

Um outro estudo, feito pela FGV – São Paulo, mostrou um prejuízo de 7 bilhões de reais em 2000, que subiu para 26 bilhões em 2008, devido ao caos urbano.

Se a palavra da hora é produtiviDADE, como alcança-la com profissionais que já chegam ao local de trabalho cansados e estressados e que irão produzir menos?

É óbvio que o ideal seria morar próximo ao local de trabalho, onde você poderia se deslocar caminhando ou usando um skate ou uma bicicleta. Além de não ficar preso em congestionamentos, você terá mais tempo para si e para sua família, o que diminuiria muito seu índice de estresse.

Mas se você não tem este privilégio e necessita enfrentar o caos diário das grandes cidades, aproveite este tempo. No meu texto Para onde o trânsito está levando o trabalho existem várias sugestões para isso e que podem contribuir para que você chegue ao seu local de trabalho menos estressado e mais bem-humorado.

A pesquisa da Regus, com mais de 16000 gerentes seniores, mostrou que 50% deles produziriam muito mais se pudessem diminuir o tempo perdido no deslocamento entre sua casa e seu local de trabalho.

3 – FlexibiliDADE

Como as empresas já perceberam que a baixa na produtiviDADE impacta negativamente sua contabiliDADE devido à pouca mobiliDADE, elas estão trocando a obrigatorieDADE do horário de trabalho de forma presencial pela flexibiliDADE do mesmo com o auxílio da tecnologia (notebooks, smartphones, redes de compartilhamento, aplicativos, etc.).

Com o auxílio da tecnologia, hoje já é possível desenvolver novas formas de trabalho:

  • horários flexíveis

De acordo com o estudo realizado pelo International Business Report 2012, feito com 11500 empresas, mostrou que 45% das empresas brasileiras tem políticas de horários flexíveis, embora o Brasil seja o 28º país do ranking.

No ranking global, os países mais flexíveis são: Finlândia (89%), Suécia (85%), Dinamarca (82%), Nova Zelândia e Holanda (81%) e Vietnã (78%)

  • teletrabalho

Também conhecido como home office, trabalho remoto ou trabalho à distância, é uma forma de trabalho que está em expansão no mundo globalizado.

Ele permite que as tarefas sejam realizadas com liberdade e autonomia, gerando maior produtiviDADE visto que o não enfrentamento do trânsito diminui o estresse e eleva a automotivação e o sentimento de independência.

Pesquisas desenvolvidas pela Ciso e pela Citrix Systems revelaram que mais de 75% dos profissionais entrevistados se consideraram mais produtivos trabalhando de forma remota.

Outra pesquisa realizada pela Businwess School São Paulo mostrou que 61% dos entrevistados afirmaram que realizar seu trabalho longe do escritório melhorou sua qualidade de vida, 32% afirmaram que o absenteísmo é reduzido e 25% afirmaram que esta política atua de forma positiva na retenção de talentos.

O teletrabalho parece ser um modelo bem adequado às demandas atuais e à inserção social, pois pode ser realizado a qualquer hora, em qualquer lugar e é isento de preconceitos relacionados à idade, raça, sexo, religião ou a portadores de deficiências.

O teletrabalho também pode ser realizado em outros locais como flex offices e escritórios virtuais, além do home office.

Entretanto, hoje é muito comum ver pessoas trabalhando em escritórios compartilhados, cafeterias e até mesmo em parques e clubes.

Quanto mais flexível for a empresa, no que diz respeito ao exercício do trabalho, mais ela contribuirá para a melhoria da qualidade de vida dos seus colaboradores e mais ganhará em produtiviDADE.

4 – MentaliDADE

Tornando-se mais flexíveis, as empresas mostram uma mudança da sua cultura, uma mudança de mentaliDADE, o que leva à um modelo de gestão mais moderno, mais condizente com a realidade e onde a relação com seus colaboradores se torna mais humana.

Ela passa a entender que cada colaborador é um Ser integral, que tem corpo, mente e alma, e que ele é um indivíduo, indivisível, único, e que assim ele quer ser visto e tratado.

Talvez estejamos entrando na época do “colaborador customizado”, onde a empresa oferecerá a ele condições e benefícios específicos que atenda suas necessidades.

5 – FeliciDADE

É claro que, com todas estas mudanças, certamente o colaborador se sentirá mais feliz em trabalhar para aquela empresa.

Quando se está feliz, trabalha-se melhor, aumenta nossa automotivação e produz-se mais.

E o brasileiro trabalha feliz. Na pesquisa realizada pelo Datafolha (abril/2012) com 1574 pessoas, 61% afirmaram estar felizes em suas ocupações e 16% , muito felizes.

Para que se sinta feliz com o seu trabalho, ele precisa ter significado para você. Quanto mais significado ele tiver, quanto mais reconhecido você for, mais você trabalhará e produzirá com mais vontade, mais gana e mais tesão.

O atual mundo do trabalho tem duas vertentes bem definidas (empresa e colaborador) que precisam trabalhar de forma integrada, harmônica e uníssona, onde todos ganham, seja no aspecto financeiro, seja em qualidade de vida.

Por isso, ambos necessitam ter uma consciência muito bem definida sobre o papel de cada um nesta equação, para que todos cresçam, se desenvolvam e atinjam a grandiosiDADE.

Fava Consulting – Para viver com muito mais Qualidade

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

Um novo jeito de trabalhar. Cheio de “…DADEs”
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Últimos Comentários

  1. João Olaia

    Artigo com muita rima e verdade, porque este mundo hoje tudo se conjuga ao mesmo tempo que se complica…

Deixe um Comentário