WORKEXIT Artigos, Qualidade de Vida

Tenho quase certeza absoluta que você, caro leitor ou leitora, não conhece a palavra que dá título a este texto. O que é perfeitamente plausível.

Esta palavra não existe formalmente, mas é a junção de duas palavras inglesas: WORK (trabalho) e EXIT (saída).

Ela foi formada baseada em outra palavra inglesa – BREXIT- que significa a saída do Reino Unido da Comunidade Europeia, o bloco econômico formado por vários países europeus. Apenas para lembrar. No dia 23 de junho de 2016 os britânicos fizeram um plebiscito onde, com 51,9% dos votos, ficou decidida tal saída.

Em suma: o Reino Unido, formado por Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales, deixam o bloco, mas mantem sua posição geográfica no continente europeu.

A palavra WORKEXIT significa algo semelhante: você “sai” do trabalho sem deixar o seu escritório. Você se “desliga”, dá uma escapadela rápida, de forma temporária da sua atividade laboral sem, necessariamente, sair fisicamente da empresa.

WORKEXIT pode ser traduzida como uma pausa, formal ou não, durante o horário de trabalho e na qual você se “desliga” das suas tarefas, fazendo outras coisas, como tomar um café, alongar-se, ler e-mails, conversar com colegas de trabalho, etc.

Nestes períodos de workexit você faz algo de sua preferência sem ser exigido pelas demandas de sua atividade laboral.

A Ciência já comprovou que nosso cérebro só consegue se manter concentrado, sem pausas, por um período de 90 minutos. Após este período o cérebro começa a ficar sobrecarregado e a concentração e o foco começam a diminuir. Sua energia se esvai e você já não tem a mesma disposição para seguir com sua tarefa.

Embora muitos achem normal ficar longos períodos de tempo concentrados em uma atividade achando que serão mais produtivos, isto passou a ser um mito.

Talvez o grande segredo para nos mantermos produtivos esteja na realização de workexits de 10 a 15 minutos após um período de até 90 minutos de concentração total.

Estas pausas são necessárias devido a um fenômeno que ocorre em todos os seres humanos denominado ciclo básico de descanso atividade (BRAC – basic rest-activity cycle, em inglês). É este ciclo que faz o se cérebro se manter concentrado e depois “pedir ou solicitar” a pausa de 10 a 15 minutos para se recuperar pela energia gasta no período de concentração total.

Pense consigo mesmo quantas vezes você trabalhou ininterruptamente durante horas buscando resolver alguma pendência sem encontrar a solução que precisava. Você volta para casa frustrado e sem esperança, mas, ao tomar seu banho de forma relaxada, sentindo a água refrescar todo o seu corpo, você fecha os olhos para sentir mais intensamente este relaxamento e, de repente… a solução aparece como em um passe de mágica. E aí você exclama:

– Como não enxerguei isso? A resposta estava na minha frente.

Neste momento, lembre-se da lei da Física que afirma que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço.

Na nossa mente ocorre o mesmo. Se ela está “sobrecarregada” de pensamentos, não haverá lugar para outros pensamentos. Quando você faz sua mente “se desligar”, você abre espaço para outros pensamentos e as soluções aparecem como se estivessem vindo do nada.

A Ciência também já mostrou que pessoas que tem o hábito de fazer pausas periódicas, de forma natural e sem estresse, produzem mais do que aquelas que não as fazem.

Trabalhar de forma contínua, sem intervalos, é um grande erro pois afeta diretamente a saúde física e mental de quem trabalha desta maneira.

Também é interessante notar que é muito mais benéfico fazer workexits periódicos curtos do que trabalhar incessantemente e só faze-lo ao chegar no nosso limite onde, necessariamente, seremos obrigados a parar de trabalhar.

Mesmo se você se achar uma “máquina” de trabalho, um verdadeiro “trator”, lembre-se que até uma máquina não é feita para trabalhar de forma ininterrupta. Ela também precisa ser parada para manutenções periódicas e troca de peças desgastadas.

Imagine, agora, se, de tanto trabalhar sem workexits periódicos, seu coração começa a apresentar problemas necessitando de uma “manutenção” ou necessite ser trocado por estar muito “desgastado? Você estaria preparado física e psicologicamente para um transplante cardíaco, por exemplo?

Tenha em mente que o importante não é o número de horas que você trabalha mas sim a forma como você estrutura suas atividades.

Vantagens do workexit

Veja, abaixo, as vantagens que podem ser usufruídas por esta prática:

  • sua mente descansa e, com isso, você recupera sua energia mental, necessária para seguir com mais concentração e com mais foco pelo próximo período;
  • sua concentração aumenta porque você não realiza a mesma atividade de forma contínua e por muito tempo; com isso você consegue lograr melhores resultados;
  • sua criatividade é ampliada, pois seu cérebro estará sempre descansado e mais “vazio” de pensamentos. Cérebro cansado é sinônimo de falta de ideias novas e criativas;
  • seu estresse diminui porque, durante os workexits voc|ê pode relaxar, arejar a mente, conversar despreocupadamente com seus colegas de trabalho, fazer uma caminhada curta ou exercícios de ginástica laboral, etc. Enfim, fazer algo que não se relacione diretamente com a sua tarefa atual;
  • tome um café durante seu workexit. Esta associação – café + workexit – contribui para o aumento da memória, aumento da concentração, diminuição de erros e aumento da produtividade, como foi demonstrado por pesquisadores ingleses;
  • sua motivação aumenta, porque empresas que adotam esta prática sabem que é benéfica, não só pelo aumento da produtividade e, consequentemente, pelo aumento de resultados, mas, principalmente, pela melhoria da qualidade de vida dos colaboradores. E, como se sabe, colaboradores felizes são mais motivados;
  • sua saúde melhora visto que workexits periódicos evitam que você force a visão por longos períodos de tempo; as dores musculares e corporais são evitadas pelo fato de você não permanecer muito tempo sentado e na mesma posição; e, fazer exercícios nestas pausas previnem o aparecimento de lesões por esforço repetitivo, etc.;
  • suas decisões tem mais qualidade visto que sua mente estará sempre arejada e energizada;
  • sua sociabilidade aumenta porque, neste período, você pode conversar com seus colegas ou conhecer outros, aumentando seu círculo de amizades.

Acho que, com a descrição destas vantagens, já deu para perceber que longas jornadas de trabalho não constituem sinônimos de produtividade; muito pelo contrário, esta conduta pode ser a fonte da sua ansiedade e do seu estresse laboral.

Em 2015, a Organização Mundial da Saúde mostrou que mais de 18 milhões de brasileiros possuíam algum transtorno de ansiedade e quase 12 milhões apresentavam quadros de depressão.

Ser um workaholic ou ficar “acorrentado” à sua mesa de trabalho decididamente  é algo muito ruim para o seu corpo e para a sua mente.

Se o mundo globalizado exige mais de você, aprenda a estar preparado física e mentalmente para atender às demandas que lhe são exigidas. E os workexits periódicos podem contribuir para isso.

Pense nisso. Para seu próprio bem.

Luiz Roberto Fava

Autor: Autor: Luiz Roberto Fava

Especialista em Endodontia, palestrante de Qualidade de Vida Integral.

WORKEXIT
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Deixe um Comentário